O FUTURO DA POLÍTICA POTIGUAR

Henrique Alves é o legítimo herdeiro de Aluísio Alves, consequentemente, desperta e representa a paixão pela velha bandeira verde. A paixão partidária ainda sobrevive, principalmente entre os eleitores mais antigos e menos esclarecidos.

Vota-se no candidato da bandeira verde por ser o candidato de Henrique, de Aluísio. Outros aspectos são irrelevantes, pois o que importa é ser bacurau. Isso ainda existe, mas a derrota de Henrique na última eleição foi uma demonstração de que a paixão por cor, família, corrente política não é mais suficiente para garantir a vitória.

Qual o impacto do derretimento de Henrique Alves nas eleições vindouras?

É provável que Henrique esteja muito ocupado em salvar o próprio couro, principalmente agora que a investigação ficará nas mãos de Moro.

O PMDB potiguar sempre foi dependente de Henrique e Garibaldi e é provável que fique nas mãos do senador e o cenário que até dia desses se anunciava como bastante promissor com Henrique de volta à crista da onda agora tem que ser reavaliado.

O que dirão aos eleitores os ardorosos devotos de Henrique?

O ocaso de Henrique não é diferente de outro cacique político potiguar, refiro-me ao senador José Agripino.

O legítimo representante da velha bandeira vermelha dos bicudos não se encontra em posição menos desconfortável do que o Bacurau-Mor.

O que dirão aos eleitores os ardorosos devotos de Agripino?

Parece que o atual momento político tem muito a ensinar sobre a inadequação da defesa pura e simples de cores representativas de velhas oligarquias e ideias retrógradas, mas existem inúmeros representantes desse atraso nos diversos municípios do estado que não percebem o 'novo tempo', não aprendem nada e, pior para o povo, nem esquecem nada.

O verde bacurau é a representação de Henrique.

O vermelho bicudo é a representação de Agripino.

Quem se apresenta ao povo com tal 'conteúdo' diz tudo sem precisar dizer nada...

0 Response to "O FUTURO DA POLÍTICA POTIGUAR"

Postar um comentário