Programa Trilhas Potiguares em Viçosa, Portalegre e Martins

Viçosa, Portalegre e Martins foram os municípios potiguares visitados nos últimos dias 28 e 29 pela comitiva da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), para acompanhar o trabalho do Trilhas Potiguares 2016. Desenvolvido pela instituição há 20 anos, o programa de extensão busca a construção solidária do saber voltado para o desenvolvimento sustentável.
Em seu primeiro desembarque, a reitora Angela Maria Paiva Cruz foi recepcionada na manhã da terça-feira pelo prefeito de Viçosa, Antônio Gomes Amorim, e o pró-reitor de Extensão em exercício e coordenador do Programa, Breno Cabral. 
O gestor municipal enalteceu o trabalho da UFRN no interior do Estado, enquanto a secretária de Assistência Social, Dalva Vieira, elogiou o acolhimento às demandas da região com 1.800 habitantes e um dos 40 melhores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do Rio Grande do Norte. 
Alunos trilheiros atendiam mães e recém-nascidos no Centro de Educação Infantil Eulina Pinto, enquanto outros realizavam oficinas na área de artes. Ao final da manhã, gestores e alunos plantaram mudas na Praça da Estrela, uma das cinco existentes no menor e mais arborizado município potiguar.
Benefícios por onde passa
Na tarde do mesmo dia a reitora e o prefeito de Portalegre, Manoel de Freitas Neto, visitaram o trabalho dos 19 trilheiros nas dependências de escolas, na Casa de Acolhimento de Famílias e no espaço de formação musical e teatral. Presenciaram oficinas, palestras e encontros com a comunidade. 
"O Trilhas Potiguares só trouxe benefícios à cidade, principalmente porque nos escutou nas edições anteriores para atender às nossas necessidades", destacou Manoel de Freitas. 
Breno Cabral aproveitou e esclareceu que a universidade não impõe o que vai fazer nas cidades. "Os representantes da população dizem o que precisa ser desempenhado, e assim colocamos em prática". 
Entre os 10 municípios assistidos neste ano pelo Programa, Portalegre é um dos que mais sofre com a chegada das drogas ilícitas para os jovens. A cidade recebeu o Trilhas pelo terceiro ano, possui cerca de 8 mil habitantes e três comunidades quilombolas, nas quais a sexualidade precoce e a baixa escolaridade são os maiores problemas.
Ao chegar em Martins, a equipe da reitora participou de reunião com a comunidade no Centro de Referência de Assistência Social. Em seguida, assistiu na calçada da Capela da Cohab e na praça do bairro, atividades lúdicas, como brincadeiras de roda e outras, com finalidade de resgate da cultura local. 
Ao final do dia, a reitora foi recebida pela prefeita, Olga Fernandes, vereadores, secretários municipais, educadores e representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), na sede da Prefeitura, ocasião em que a prefeita avaliou positivamente os resultados do Trilhas Potiguares no município.
A visita se estendeu no dia seguinte ao Espaço de Cultura e museus de Martins. "Nós promovemos ações, trocas de informações, e disseminamos saberes. Por outro lado, aprendemos muito com todas as comunidades por onde passamos", observou Angela Paiva sobre a presença da UFRN no interior do Rio Grande do Norte.
Fonte: ASSESSORIA DE IMPRENSA FEMURN

0 Response to "Programa Trilhas Potiguares em Viçosa, Portalegre e Martins"

Postar um comentário