A seca e a relocação de cidades no nordeste: o caso nova Jaguaribara – CE

Licia Tereza Rodrigues Perote

Resumo


Cerca de 51 milhões de brasileiros vivem no Nordeste, enfrentando períodos críticos de estiagem e enchentes. Na tentativa de minimizar as mazelas causadas pelas irregularidades pluviométricas, o governo federal lançou recursos para a implantação de programas que viabilizassem a formação de estoque estratégico de água por meios de barramentos e açudagem. O reservatório do Castanhão, no Ceará, faz parte dessa estratégia e surge no ano de 1995 tendo como grande impacto o desaparecimento da cidade de Jaguaribara, situada a 283 km de Fortaleza. Entre ameaças, resistência, insegurança, aceitação dinâmica e chegada na nova terra, a população é relocada para um outro sítio, dando origem ao novo município, que recebe o nome de Nova Jaguaribara, inaugurada no ano de 2001. A cidade nasce marcada pela história do povo sertanejo, uma trajetória castigada por conta da seca e das disputas pelo poder que a água representa nesse espaço que determina a conjuntura do sertão brasileiro.

PALAVRAS-CHAVEcidades novas, cidades planejadas, seca, barragens.

Texto completo:

0 Response to "A seca e a relocação de cidades no nordeste: o caso nova Jaguaribara – CE"

Postar um comentário