REDE HOSPITALAR DO RN: Readequação é inevitável

Resultado de imagem para charge de ambulancias

A Rede Hospitalar do RN gerida pela SESAP terá que passar por uma significativa readequação, pois não tem como continuar da forma que se encontra.

É cara e ineficiente, tem hospital demais e serviços de menos, equipamentos subutilizados em uns e inexistentes em outros, profissionais sobrecarregados em algumas unidades e ociosos em outros, enfim, inúmeros problemas que requerem coragem para minimizá-los.

Dentre as medidas que podem ser adotadas, provavelmente, a redução de hospitais é uma das que tem maior possibilidade de oferecer algum alento para os potiguares que precisam de atendimento hospitalar.

Vai resolver tudo? Não, pois acredito que o principal problema na saúde pública potiguar é o funcionamento inadequado da atenção básica.

Mas, no atual quadro em que se encontra o RN o redesenho da Rede Hospitalar é o que se pode fazer, aliás, talvez nem isso.

As resistências legítimas se somarão ao discurso fácil de alguns, inclusive de dentro do atual governo, pois não se desconhece a 'capacidade' inventiva dos políticos potiguares, especialmente, em oferecer 'soluções de palanque' para os graves problemas que afligem a população, sobretudo, a mais carente.

O trololó também engrossa pela fascinação que os gestores públicos têm pelas reuniões, principalmente, aquelas que são realizadas apenas para marcar outras. O que se gasta de dinheiro público na área da saúde com reunião inócua é uma enormidade.

Assim, o assunto vai sendo 'debatido' e no ano de eleição nada ocorrerá, exceto a produção de diagnósticos, relatórios... E o povo continuará sem atendimento satisfatório nos hospitais, prestando-se serviços de atenção básica nos hospitais e ambulâncias para cima e para baixo nas estradas do RN...

Muitos irão morrer por falta de atendimento adequado, mas o RN é a terra das 'soluções erradas' para os problemas certos.

Leia:
O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), representado pela promotora de Justiça Iara Pinheiro, participou da reunião de trabalho da comissão técnica formada para atuar no cumprimento do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado pelo Governo do Estado, MPRN, Ministério Público do Trabalho e Tribunal de Contas do Estado que prevê, dentre outros pontos, o reordenamento dos serviços em sete hospitais regionais.
A reunião aconteceu na quarta-feira (26) na sede da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) e contou com a presença do secretário de saúde, George Antunes, representantes do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems), Conselho Estadual de Saúde (CES), Sindicato dos Servidores de Saúde (Sindsaúde), além das coordenações de promoção à saúde, recursos humanos, planejamento e de hospitais da Sesap.
“A reunião foi muito produtiva e ofereceu a oportunidade de democratizar o espaço de diálogo entre todos os órgãos envolvidos, para que os trabalhos transcorram de forma técnica, eficiente e com a participação de todos”, detalhou a promotora Iara Pinheiro.
Para sistematizar as atividades, o grupo trabalha com um estudo da população de cada município, os equipamentos disponíveis em cada hospital, gastos e fluxos de atendimento, além dos vazios assistenciais das regiões de saúde às quais os hospitais pertencem. Também são utilizados dados do Ministério da Saúde, levantamentos das coordenações de planejamento, promoção a saúde, recursos humanos e de hospitais, dados da sala de situação do hospital Walfredo Gurgel (que recebe um grande número de encaminhamentos vindos do interior) e também informações das visitas técnicas já realizadas pelo MPRN, por meio do Centro de Apoio às Promotorias de Saúde (Caop-Saúde).
Com todas as informações reunidas, o objetivo final do trabalho é fortalecer a assistência à população local, por meio da reestruturação das unidades, dando continuidade ao processo de regionalização com instrumentos de melhoria de gestão, como os consórcios públicos, e redefinindo os serviços que podem dar suporte à atenção primária nesses municípios.
A próxima reunião da comissão está marcada para o dia 3 de agosto, quando será estabelecido o cronograma das visitas técnicas a cada hospital. As sete unidades incluídas no TAC são o Hospital Regional Professor Dr. Getúlio de Oliveira Sales, em Canguaretama; Hospital Regional Dr. Aguinaldo Pereira, em Caraúbas; Hospital Regional de João Câmara, em João Câmara; Hospital Regional Dr. Odilon Guedes, em Acari; Hospital Regional de São Paulo do Potengi, em São Paulo do Potengi; Hospital Regional de Angicos, em Angicos e Hospital Regional de Apodi, em Apodi.

*Com informações da Assessoria de Comunicação da Sesap. - MPRN

0 Response to "REDE HOSPITALAR DO RN: Readequação é inevitável"

Postar um comentário