Arena das Dunas deu prejuízo operacional de R$ 35 milhões em dois anos. Os políticos que inventaram o 'bicho' comemoram!

Arena das Dunas, cuja administração foi concedida pelo governo do Rio Grande do Norte para a OAS por 20 anos, teve seu segundo ano consecutivo no vermelho em 2015. O estádio teve prejuízos operacionais de R$ 16 milhões e R$ 19 milhões, respectivamente, nas duas temporadas desde a inauguração, em 22 de janeiro de 2014.
As receitas chegaram a R$ 6,9 milhões em 2015, mas continuam muito abaixo das despesas, em R$ 23 milhões. O cálculo, aqui, desconsidera os repasses de dinheiro feitos pelo governo potiguar para remunerar a construção do estádio, orçada em R$ 400 milhões.
Ao olhar apenas para receitas e despesas é possível notar a saúde financeira de uma empresa, como a criada pela OAS para administrar a Arena das Dunas, que vai mal. E o cálculo fica muito pior se forem considerados impostos sobre a receita e despesas financeiras, como pagamentos de juros a bancos, ambos negativos.
Com os dois principais times locais na terceira divisão, ABC e América-RN, a Arena das Dunas depende de excursões de clubes da elite para conseguir receita. A maior renda, até hoje, saiu do jogo entre Flamengo e Avaí no Campeonato Brasileiro de 2015, quando a operadora ficou com R$ 439 mil da receita bruta de R$ 1,6 milhão.
O estádio será o palco de Flamengo x Fluminense no próximo domingo (26) e espera superar a renda obtida no ano passado.
A OAS, a quem o governo do Rio Grande do Norte concedeu a Arena por 20 anos, colocou-a à venda no começo de 2015. A construtora entrou em recuperação judicial depois que sua participação em esquemas de corrupção foi evidenciada pela Operação Lava Jato. Quebrada, decidiu vender suas participações em estádios – Arena das Dunas, Arena do Grêmio e 50% da Arena Fonte Nova.
REVISTA ÉPOCA
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia também:

ARENA DAS DUNAS: DEPUTADO SUGERE REVISÃO DE CONTRATO

A ARENA DAS DUNAS SERÁ O MARCO DA TRANSFORMAÇÃO DO FUTEBOL DO RIO GRANDE DO NORTE?

Conclusão: o 'bicho' se tornou um fardo para a empresa que opera o estádio e outro maior para o erário estadual que é obrigado a pagar a conta bilionária da construção.

Para o povo bilionário do RN resta pagar a conta.

Para o futebol potiguar não representou absolutamente nada e os principais times continuam se batendo nas divisões inferiores.

Para bancar o contrato de pagamento da obra se retira dinheiro de tudo que é essencial.

Enfim, uma ideia ilustrativa da capacidade da elite política local em arregaçar a vida do povo bilionário do RN. Nesta ótica, e apenas nesta, a 'obra' foi um sucesso. Serviu como uma luva ao único e verdadeiro propósito para o qual foi gestado e parido.

0 Response to "Arena das Dunas deu prejuízo operacional de R$ 35 milhões em dois anos. Os políticos que inventaram o 'bicho' comemoram!"

Postar um comentário