ATENÇÃO GESTORES: abuso de poder frequente e repetitivo é uma forma de violência psicológica

O que é assédio moral no trabalho



É uma forma de violência no trabalho que consiste na exposição prolongada e repetitiva dos trabalhadores a situações vexatórias, constrangedoras e humilhantes, praticadas por uma ou mais pessoas. 
Ocorre por meio de comportamentos com o objetivo de humilhar, ofender, ridicularizar, inferiorizar, culpabilizar, amedrontar, punir ou desestabilizar emocionalmente os trabalhadores, colocando em risco a sua saúde física e psicológica, além de afetar o seu desempenho e o próprio ambiente de trabalho.
O assédio pode assumir tanto a forma de ações diretas (acusações, insultos, gritos, humilhações públicas) quanto indiretas (propagação de boatos, isolamento, recusa na comunicação, fofocas e exclusão social). Porém, para que sejam caracterizadas como assédio, essas ações devem ser um processo frequente e prolongado.
Alguns dos objetivos do assédio:
 Desestabilizar emocional e profissionalmente o indivíduo;
 Pressioná-lo a pedir demissão;
 Provocar sua remoção para outro local de trabalho;
 Fazer com que se sujeite passivamente a determinadas condições de humilhação e constrangimento, a más condições de trabalho etc.

As práticas de assédio moral podem se dar tanto do chefe para seu(s) subordinado(s) (assédio descendente), como do(s) subordinado(s) para seu(s) superior(es) (assédio ascendente), entre os colegas de trabalho, ou podem ser mistas, isto é, entre superiores, colegas e/ou subordinados.
As ações decorrem das relações interpessoais e/ou do assédio organizacional (quando a própria organização incentiva e/ou tolera as ocorrências).
O assédio nem sempre é intencional. Às vezes, as práticas ocorrem sem que os agressores saibam que o abuso de poder frequente e repetitivo é uma forma de violência psicológica. Porém, isso não retira a gravidade do assédio moral e dos danos causados às pessoas, que devem procurar ajuda para cessar o problema.
A humilhação repetitiva e de longa duração interfere na vida do trabalhador e trabalhadora de modo direto, comprometendo sua identidade, dignidade e relações afetivas e sociais, ocasionando graves danos à saúde física e mental, que podem evoluir para a incapacidade laborativa, desemprego ou mesmo a morte, constituindo um risco invisível, porém concreto, nas relações e condições de trabalho.
--------------------------------------------------------------------------------
Atentai bem!!!

Exigir que os trabalhadores extrapolem a carga horária estabelecida em Lei, além de gerar a obrigação de pagamento de horas extras existem limites, pois pode configurar humilhação e constrangimento.

Tem gestor ultrapassando os limites legais e avançando por caminhos tortuosos que, ao contrário do que imaginam, apenas degradam as relações e o ambiente de trabalho.

Atentai bem para os abusos de autoridade e a violência psicológica!!!

0 Response to "ATENÇÃO GESTORES: abuso de poder frequente e repetitivo é uma forma de violência psicológica"

Postar um comentário