PREVISÃO: UMA DÉCADA SEM ESTIAGEM

Há otimismo entre meteorologistas sobre a melhoria das condições climáticas no Nordeste brasileiro. Gilmar Bristot, Gerente de Meteorologia da EMPARN, analisando imagens de satélite e diversos modelos meteorológicos, que incluem condições dos oceanos Atlântico e Pacífico, afirma que o fenômeno La Ninã deve permanecer até meados de 2018. 

O conjunto de fatores indica que há possibilidade de chuvas acima da média, entre 20% a 30%, já no próximo ano. O também meteorologista e professor da UFAL – Universidade Federal de Alagoas, Luiz Carlos Molion, inclui na sua análise a atividade solar e séries históricas, e prevê o início de um ciclo sem estiagens, que deve se estabelecer no Nordeste até 2026. Muita chuva será necessária para a recarga de barragens e açudes, muitos completamente secos ou em volume morto.

FONTE: SEBRAE-RN

0 Response to "PREVISÃO: UMA DÉCADA SEM ESTIAGEM"

Postar um comentário