NOTAS E COMENTÁRIOS XLV

UFERSA EM GREVE
Os servidores da UFERSA decidiram entrar em greve, por tempo indeterminado, solicitando ao governo federal a recomposição salarial de 27,3%.

CAJUCULTURA
É grave a situação do setor. A seca e a falta de coordenação das ações são os principais problemas. O primeiro é um fenômeno natural e bastante conhecido. O segundo desperdiça os recursos escassos com soluções paliativas e pontuais.

MINISTRO
O ministro da Integração Nacional virá ao RN anunciar a liberação de 200 milhões para ações no estado. Espera-se que as promessas não fiquem apenas no gogó e que Levy não use a tesoura.

Leiam:
"Thaisa Galvão – Ministro, posso dizer aqui que o senhor está garantindo a liberação de mais de 200 milhões para o Rio Grande do Norte?

Gilberto Occhi - Com certeza! Eu não, a presidente Dilma Rousseff, a pedido do deputado Beto Rosado."

O ministro afirmou com segurança: "Com certeza" liberaria 200 milhões para o RN. Em seguida, repassou a responsabilidade para Dilma e, por fim, de acordo com o que foi publicado, disse que a liberação é fruto do pedido de um deputado.

Conclusão: o governo estava insensível (ou desconhece?) a situação crítica vivenciada pelos potiguares em função da seca e foi preciso um deputado "pedir" ajuda a Presidente e/ou ministro. 

FORÇA E PRESTÍGIO
Felizmente um deputado potiguar teve a iniciativa de ir pedir 200 milhões para o estado realizar algumas ações.

REELEIÇÃO
Os deputados aprovaram o fim da reeleição para prefeitos, governadores e presidente, mas somente para 2020 (prefeitos) e 2022 (governadores e presidente) que estiverem no primeiro mandato. A matéria terá segundo turno na Câmara dos Deputados e dois turnos no Senado.

NO RN
Escreveram por aí que vários prefeitos potiguares que estão em Brasília na "marcha" não pretendem ser candidatos no próximo ano, mesmo tendo direito a reeleição, pois estariam desanimados. Lenga-lenga pura. Despiste.
Hoje choram pitangas e não podem nada. Dizem que as prefeituras estão 'quebradas' e a LRF impede tudo.
Próximo ano estarão nos palanques prometendo "mundos e fundos". Farão tudo e mais um pouco.
Nos pequenos municípios, ou seja, em quase todos, estarão casa a casa prometendo empregos e o que mais lhes forem solicitados pelos incautos eleitores. Aliás, não serão apenas promessas.
Voto por aqui tem preço. É mercadoria. Vendem-se e compram-se.
Depois? Tudo de novo. Quebradeira, LRF e muito blá-blá...

REFORMAS
As reformas são essenciais. Ponto. Todas elas. Ponto.
Sobre a reforma política, tem-se, até agora parcos avanços. Por exemplo, a cláusula de barreira aprovada é ridícula. Os partidos para fazerem jus ao fundo partidário e ao tempo de rádio e TV precisa eleger um parlamentar (um deputado ou senador).
A grande reforma da área será a conscientização dos eleitores. Os políticos que compram as eleições jamais terão compromissos com resultados mais significativos da gestão. Passam os mandatos recuperando os recursos gastos na compra dos votos das eleições passadas e fazendo caixa para comprar a seguinte.
Como resultado mais visível, tem-se a deterioração doos serviços públicos.

0 Response to "NOTAS E COMENTÁRIOS XLV"

Postar um comentário