Desconcentração no Brasil: Nordeste, da Sudene aos anos 2000

Resumo


Este artigo mostra o processo de desconcentração das atividades na economia brasileira, sobretudo no Nordeste, desde a implementação da Sudene ao período mais recente. Esse processo continuou nas duas décadas depois da Sudene, seguido por um período de baixo dinamismo, quando predominaram as forças do mercado, causando a inflexão do crescimento econômico e, consequentemente, a desconcentração da atividade e da renda. Contudo, no inicio dos anos 2000, a política regional e o planejamento voltaram, principalmente, na segunda metade da década. 

A economia brasileira inicia uma trajetória de crescimento, levando consigo o Nordeste. Diante disso, algumas questões emergem: essa dinâmica da economia brasileira tem sido acompanhada pela desconcentração da renda? Qual a situação do Nordeste dentro deste novo contexto? 

Diferente das últimas duas décadas, o crescimento econômico apresentado nos anos 2000 foi acompanhado pela desconcentração da produção e, por conseguinte da renda, derivado da ação mais ativa do Estado em termos de políticas regionais. 

Assim, conclui-se que o Nordeste, dentro desse contexto, apresentou taxas de crescimento acima da média do País elevando a renda per capita da Região. Nesse sentido, esse crescimento foi acompanhado também pela melhora no padrão de vida da população, principalmente, devido à política de transferência de renda do Governo Federal.

Palavras-chave


Desconcentração de renda; Nordeste; Política regional.

Texto completo:

0 Response to "Desconcentração no Brasil: Nordeste, da Sudene aos anos 2000"

Postar um comentário